Foto: Internet
moleta
Paciente aguarda há anos por uma cirurgia eletiva no HGR
CIRURGIAS ELETIVAS

Fila só aumentou com Denarium

Governador diz que já gastou R$ 2 bilhões com a Saúde; para onde foi este dinheiro?
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

O governador Antônio Denarium anunciou que já gastou R$ 2 bilhões com a Saúde, mas a fila das cirurgias eletivas no HGR, de menor complexidade, só aumenta. Já são mais de nove mil pacientes esperando, alguns há mais de três anos.

Este tipo de procedimento não é considerado de urgência, além de terem dia e horário agendados. No entanto, a fila só fez crescer desde que Denarium assumiu, em 2018.

Procurado, o governo justificou que os leitos de cirurgias eletivas foram remanejados para tratar casos da Covid-19 durante a pandemia. Balela. O Estado retomou as cirurgias e depois parou.

Em 30 de dezembro de 2019 restavam 3.502 cirurgias a serem feitas. No entanto, após dois anos, o número quase triplicou, chegando a 9 mil cirurgias em fila de espera.

O governo federal destinou este ano R$ 5 milhões para incrementar o teto de gastos da Média e Alta Complexidade. A verba foi transferida para a conta do Fundo Estadual de Saúde de Roraima, mas os pacientes continuam na fila.

Pacientes que precisam de cirurgias eletivas podem se recadastrar no aplicativo “Zera Fila”, mas isso não garante a operação. O recadastro só serve para reposicionar quem precisa dos procedimentos no HGR.

 

Contrato milionário

Para realizar as cirurgias eletivas, o governo contratou a empresa Slim. O valor estimado a ser pago é de mais de R$ 6 milhões.

O contrato prevê a realização mínima de 6.083 cirurgias em um semestre. Dessa forma, a empresa terá de fazer ao menos 34 procedimentos cirúrgicos por dia.

Todos os médicos, técnicos e auxiliares devem ser fornecido pela empresa. Enquanto, os enfermeiros estão sob obrigação do Estado, assim como a regulação das filas e leitos para cirurgias.

O governo e a empresa assinaram o contrato ontem, dia 28. Os serviços devem ser prestados por 180 dias, um semestre.

Veja também:

Publicidade