Foto: Divulgação
indio festa
Índios dançam a Parixara; festa no Uiramutã
NO UIRAMUTÃ

MP tenta barrar festejos

Órgão ministerial fresca com povo humilde; porque não recomenda governador a suspender entrega de cestas básicas?
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

O Ministério Público de Roraima recomenda agora, somente agora, que o prefeito de Uiramutã, Tuxaua Benísio, cancele o festival de São Sebastião, maior festejo do município, que começou hoje e vai até sábado, dia 22. O MP também mandou suspender festas e eventos com aglomerações em Boa Vista e no Cantá, após o festival de lá.

Não entendo. Porque o mesmo MP, então, não recomenda que o governador do Estado, Antônio Denarium, e sua facção, suspendam as festas com aglomeração durante a entrega de milhares de cestas básicas e outros programas politiqueiros do governo?

Porque o MP também não acaba com a desavergonhada “prestação de contas” de deputados e senadores, aliados do governador, que aglomeram milhares de pessoas no parque Anauá, por exemplo, na Capital, e no interior do Estado?

Porque o MP recomendou que as aulas presenciais aconteçam, se a pandemia voltou a ganhar força em Roraima? Será que nossos alunos e professores são imunes ao mortal vírus?

Porque o MP também não fiscaliza a Saúde estadual? O HGR, por exemplo, sequer tem máscara para pacientes e servidores. O corona lá “baila com a morte” há tempos.

Porque o MP não investiga a corrupção na Sesau, alvo de três operações federais que estancaram, temporariamente, a sangria nos cofres públicos? Será por que o governador concedeu centenas de cargos comissionados para o probo MP?

No caso dos festejos do Uiramutã, para tirar o seu… da reta, o MP faz uma recomendação em cima da hora, sem pensar nas consequências. Senão, vejamos.

Senhor Ministério Público, sabe o quanto é difícil e caro para as comunidades daqui, humildes, se programarem, gastarem e arrumarem as malas para aqui chegar? Sabe o quanto é difícil para os comerciantes se abastecerem para atender a demanda do bendito festival, e depois ter que levar um prejuízo enorme?

Imagine, MP, se programar o ano todo para vir para cá e, em cima da hora, um dia antes dos festejos, centenas, talvez milhares de parentes, tenham que voltar porque, simplesmente, o MP fez uma recomendação absurda, em cima da hora? E o prejuízo, sobra pra quem?

Se é para recomendar suspensão de festejos e eventos, dois pesos e duas medidas, senhor MP. O que não dá para aceitar é um povo humilde com restrições, enquanto políticos, inclusive vossa excelência, o governador Antônio Denarium, promovem festas politiqueiras por aí, como se o Corona dos ricos fosse diferente do dos pobres.

O povo daqui, do Uiramutã, senhor MP, é forte e guerreiro. Sobreviveu, sobrevive e sobreviverá a qualquer peste. Meses atrás, por exemplo, saiba senhor MP, Denarium veio aqui trocar cestas por votos. Fez a maior festa e reuniu milhares na quadra de uma escola. Fez sua politicagem e ninguém morreu, sabia? Então, porque só agora, no festival, senhor MP, o Corona se torna uma iminente ameaça?

Bom seria se o ilustre MP tomasse vergonha na cara e recomendasse, de uma vez por todas, o fim da corrupção no governo do Estado, pois enquanto os festejos acontecem no interior, políticos sorrateiros metem a mão no dinheiro da Saúde. Isto sim, provoca a morte de milhares em Roraima, infelizmente, com a conivência do MP.

Dois pesos e duas medidas, senhor MP. Não esqueça disso.

Veja também:

Publicidade