Foto: Internet
vaca
"Vaquinha" para poder se operar no HGR; vergonha, caos na Saúde
NO HGR

Pacientes fazem “vaquinha” no HGR

Sem cirurgia no HGR, pacientes arrecadam dinheiro para se operar na rede privada
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

Assim que assumiu o governo, em 2018, Antônio Denarium prometeu acabar com a fila das cirurgias eletivas. E mais: disse ainda que em seis meses iria transformar a Saúde do Estado, mas… já chegando ao fim de seu desastroso mandato, o governador sequer conseguiu amenizar o sofrimento dos pacientes que esperam por uma simples cirurgia no HGR.

O desespero do povo é tão grande que já virou rotina em Roraima recorrer às redes sociais para fazer “vaquinhas”. É o caso da adolescente Rachel Thayná Bezerra, de 18 anos. A jovem aguarda há quatro meses para fazer uma ressonância no joelho. Mas por conta da demora na rede pública, ela preferiu fazer uma campanha para arrecadar o valor de R$1.200, e assim fazer o exame em uma clínica particular.

A Sesau? Informou apenas que não estão autorizando novas ressonâncias, apenas para os pacientes internados em estado grave. E dane-se o resto.

Também cansado de esperar por uma cirurgia, o aposentado Daniel Mota, de 69 anos, vítima de um acidente de trânsito, foi outro que lançou uma campanha para arrecadar dinheiro e operar a perna direita. A cirurgia custa R$ 20 mil na rede privada.

Familiares dizem que o aposentado está assim há cinco anos e nunca conseguiu fazer a cirurgia no HGR. O idoso corre risco de amputar a perna porque tem diabetes.

O jornalista e escritor Platão Arantes também teve que fazer uma “vaquinha” para arrecadar R$ 20 mil para pagar uma cirurgia. Arantes fraturou a tíbia e a fíbula da perna esquerda, após cair de uma escada. Ele precisou utilizar pinos. O Estado não ajudou em nada, como sempre.

 

“JÁ MORREU?”

Para prolongar o sofrimento dos pacientes, o governador então lançou um aplicativo: o “Zera Fila”, apelidado de “Já morreu?”, mas não adiantou nada, pois o aplicativo só serve para recadastrar pacientes, e não para marcar as cirurgias.

“As pessoas pensam que o aplicativo já tem a função de marcar, mas é somente pra fazer um recadastramento, o que é uma orientação do Ministério da Saúde”, explicou uma corrdenadora da Sesau.

Tanta dor e sofrimento que, desde o lançamento do aplicativo, em novembro passado, duas mil pessoas já haviam se cadastrado. Existem aproximadamente dez mil pacientes na fila, aguardando a bendita cirurgia.

Por outro lado, mesmo diante de tanto descaso, vossa excelência, o governador Antônio Denarium diz que já investiu mais de R$ 2 bilhões na Saúde do Estado. Então, para onde foi esta montanha de dinheiro?

 

Deputados em silêncio

É bom lembrar que Roraima tem dois médicos, Hiran e Jhonatan, no Congresso Nacional, mas, mesmo com a Sesau na UTI, ambos nunca se manifestaram sobre o assunto, enquanto o povo morre no HGR esperando por uma cirurgia.

“Dia desses, o Jhonatan conseguiu mais de R$ 5 milhões em Brasília para a Caer, tocada pelo seu pai, o senador Mecias de Jesus. Por que não conseguiu recursos para a Sesau, onde pacientes sofrem e até morrem sem atendimento digno? É só jogo de interesse, não se preocupam com o povo”, reclamou um paciente do HGR, com toda razão.

Hiran também não escapa das críticas negativas da população. “Mesmo sendo médico, não faz nada pela Saúde. E ainda quer ser senador? É ruim, heim!”, retrucou outro paciente.

Veja também:

Publicidade